Gravidinha

Agora as coisas estão voltando ao normal...

Na verdade, elas saíram do eixo há 1 mês, exatamente. Quando descobri que estou grávida, mais especificamente. Minha cabeça deu uma chacoalhada que eu nem sabia que era possível. Meu corpo embarcou nessa chacoalhada e já começou a apresentar os sintomas das primeiras semanas. 
Cansaço? Bom, multiplica por 5 o maior cansaço que sentiu até hoje. Pronto, é essa sensação que o meu corpo tem no final de um dia de trabalho. As vezes quando eu acordo ele também tá cansado. 
Sono? Eu abro a boca quando vejo o emoji de "bocejo" do Skype. De vez em quando fico pensando: 
Será que alguém colocou cola nessa cama? Provavelmente sim, não consigo levantar por nada!
Pelo menos o enjoo ta sossegado. Enjoo se ficar muitas horas sem comer. 



Consegui retomar minhas lições de inglês e francês. Estou voltando às minhas leituras aos poucos. Minhas pausas pra almoçar estão mais tranquilas, sem milhares de compromissos em médicos, laboratórios, garagens procurando veículo, etc. Já posso dizer que estou começando a relaxar e curtir esse momento tão marcante. Estou até voltando a usar minha rede na garagem. 

Frustrações

Ano passado eu já havia procurado o meu médico e informado que eu gostaria de começar a tentar engravidar. Ele me receitou ácido fólico e disse pra eu voltar quando engravidasse. Conversei com ele sobre partos, já que aqui na minha cidade não tinha médico que apoiasse parto normal. Ele me disse que é a melhor opção mas ele não faz o meu parto, exceto se for o médico de plantão. Também disse que a equipe de anestesia só trabalha em horário comercial (!), ou seja, eu não poderia contar com a anestesia peridural se fosse fora do horário comercial. 
Um ano se passou e agora veio um médico da capital que faz um trabalho bacana com parto humanizado. Passei meu pré-natal pra ele e espero que dê tudo certo. 

0 comentários:

Deixe seu comentário