Crer ou não crer? - Uma conversa sem rodeios entre um historiador ateu e um padre católico



Pensei até em cancelar este blog que não tá falando com ninguém ultimamente. Mas, sinceramente, não consigo :( Amo isso aqui e morro de saudade quando fico muito tempo sem postar. Então resolvi manter ele, nem que seja pra comentar minhas leituras, já que agora participo do Infinistante. Não pretendo fazer blog literário, nem de resenhas. Só vou mesmo compartilhar o que li, se gostei, se recomendo... Algo despretensioso, sabe?

O livro que trago desta vez é o "Crer ou não crer?" escrito por duas pessoas que admiro muito: Leandro Karnal e Padre Fábio de Melo. Ambos defendem coisas totalmente opostas, mas humanamente, trazem uma semelhança que não sabia que existia. 

Leandro: Historiador e Ateu. 
Padre Fábio: Bom... padre, né? E muito culto, inclusive gosta de filosofia. 

Pessoas agradabilíssimas discutindo, aliás, dialogando sobre a fé, a crença, o cristianismo e sobre a ausência de fé, a morte, o sentido da vida e mais... Apesar de abordarem durante a conversa esses temas tão íntimos, humanos e profundos, o livro é bem fácil de ler e flui de uma forma muito gostosa. Exceto ali pelo meio que ficam um pouco redundantes os argumentos das duas partes. Apesar de meio cansativo essa parte passa e a leitura volta a fluir. 

Ainda hoje o ateu é muito criticado pela sociedade. Visto, inclusive, como pessoas até ruins por algumas pessoas. Mas isso é totalmente infundado. Uma pessoa não precisa crer, ter alguma fé para ser boa, consciente, desejar evoluir como ser humano. E, tampouco, estar dentro de uma Igreja de joelhos não garante a ninguém essa definição. Ainda há esse pre-conceito no crente e no ateu. E, como todo tipo de pre-conceito, é E-R-R-A-D-O!

Leandro Karnal me ensinou muito. E também o fez Padre Fábio. Aliás, eles também aprenderam um com o outro, cada um com sua bagagem de vida e com a humildade de reconhecer que nunca se sabe tudo... Assim, recomendo que também leiam caso ainda não tenham lido. E se já leram, contem aqui nos comentários se gostaram. 

Até mais!

0 comentários:

Deixe seu comentário