Querido diário #4 - Jogo do contente


Esse, definitivamente, não era o post que eu gostaria de escrever hoje. 

Pensei se realmente deveria registrar esses sentimentos aqui, afinal eu não gostaria de transformar este blog em uma página de desabafos e lamentações. Mas, tudo o que aconteceu está tão recente, misturado e está me angustiando de uma forma meio bizarra que achei válido escrever. 

Ontem, entraram na casa dos meus sogros e levaram pertences, dinheiro e a caminhonete. Graças a Deus todos estão bem, ninguém se machucou e o "prejuízo" poderia ter sido bem maior. Mas, é decepcionante lembrar que estamos a mercê desse tipo de situação o tempo todo. Poderia ter acontecido com qualquer um e, justamente aí, vem o medo de: e se acontecesse comigo? Claro que, indiretamente, aconteceu comigo, mas minha perda e minha preocupação não foi material e sim psicológica / emocional.

Eu amo meu país, mas cada dia que passa fico mais decepcionada com a falta de segurança que tem aqui. Se alguém vem até você para tirar o que é seu a orientação é apenas uma: Não reaja, deixe que levem tudo, não resista! Como se tivéssemos que aceitar isso como "normal". Tipo, é "ok" alguém vir aqui, tomar o que é meu e o que eu devo fazer é NADA, não fazer nada...

O direito que temos de ir e vir acaba perdendo a validade quando evitamos sair a noite por medo, quando priorizamos sair acompanhados em vez de sozinhos, também por medo, e quando preferimos não ter algum bem que sonhamos simplesmente por que é muito visado por ladrões. A nossa liberdade foge do nosso próprio controle. 

Sempre tive uma vontade enorme de sair do Brasil, experimentar viver em outra cultura, em outra realidade de certa forma. E quando este tipo de coisa acontece essa vontade se intensifica. É triste se sentir angustiado por morar onde é a sua casa e preferir fugir. Triste também sentir o desejo de ficar longe de todo mundo que amamos por não nos sentirmos seguros. Mas enquanto isso não é possível, tentamos jogar o famoso Jogo do Contente e ver o lado "bom" de tudo.

Graças a Deus estamos todos bem!

0 comentários:

Deixe seu comentário