Taylor Swift - A História Completa





Amo biografias!

É meio bizarro como nós nos interessamos pela vida de algumas pessoas. Parece que tentamos encontrar algo em comum para se identificar ou enxergar a pessoa muito além da fama. Precisamos vê-la como alguém "normal". Gente como a gente, sabe? Isso sem deixar de reconhecê-la como uma personalidade quase inalcançável. Foi totalmente desse jeito que me senti quando li a Biografia da Taylor Swift, escrita pelo inglês biógrafo de celebridades Cha Newkey-Burden

A obra de 8 capítulos conta, quase de forma jornalística, a história de Taylor desde sua primeira infância, algo que aconteceu de um jeito parecido com a minha: numa propriedade rual. Não quero entrar em muitos detalhes e nem dar spoilers para vocês, mas o que posso afirmar é que descobri uma Taylor muito mais forte e imponente do que antes conhecia.


Ela é uma mulher de muitas conquistas. Isso todos nós já podemos imaginar. Mas muitas das conquistas carregaram consigo bastante suor, preconceito, obstáculos não perceptíveis atualmente com a carreira que tem e, acima de tudo, acompanhadas de muitas histórias de persistência e superação. Ela não caiu de paraquedas na fama. Precisou de muitos dedos calejados pelos instrumentos que toca para conseguir chegar onde chegou. E muitas viagens para dentro de si mesma que foram transformadas em letras ora misteriosas ao público, ora escancaradas para a sociedade

Mesmo gostando das músicas dela eu não pensava que ela fosse uma mulher tão forte e determinada como é. Afinal, chegam até nós, na maior parte das vezes, muitos momentos de insegurança e relações emotivas e desgastadas, sabe se lá por qual motivo. Foi bom saber desse outro lado do contexto. 

Numa entrevista alguém perguntou por que ela sempre se abria tanto nas letras que escrevia. A resposta que ela deu não conseguia ser mais coerente. Ela disse que prometeu a si mesma que se um dia ela chegasse onde chegou, jamais deixaria de ser quem era como pessoa e como compositora. Então ela ainda escreve letras como escrevia aos treze, como se fosse um diário.



O autor faz algo no livro que achei bacana: Ele colocou declarações dela e de fontes mais relevantes sobre todos os álbuns que ela já havia lançado até a conclusão da obra. Então, existe conteúdo até o álbum Red. Até esse disco já da pra ver o início da sua transição natural para o Pop. Fazendo parte dos dois estilos musicais ela recebeu vários prêmios em ambas as categorias.

Certamente Taylor Swift é uma #girlpower!

0 comentários:

Deixe seu comentário