Filme: Simplesmente Acontece


Tem na Netflix (caso queiram saber). 

"Love, Rosie", traduzido para o português como - Simplesmente Acontece - é uma comédia romântica tão linda quanto as tantas espalhadas por aí, mas um tanto menos clichê, na minha opinião. O filme, que me mostrou pela primeira vez o trabalho de Lily Collins, me surpreendeu em vários aspectos. Apesar de ainda começar com um cenário adolescente, achei que a história segue direções adultas na medida certa, com bebedeiras, perda de memória e sem teor pornográfico. 


O filme conta a história de dois vizinhos que mantém uma amizade desde quando podem se lembrar. Inseparáveis desde a infância eles precisam seguir rumos diferentes quando vão para a faculdade. Apesar de ambos terem sido aprovados em uma faculdade na América, Rosie decide não ir por ter engravidado sem planejar e por sentir que isso talvez poderia fazer com que Alex desistisse dos planos de estudar em outro continente. Ela decide esconder a gravidez e doar o bebê para adoção após o nascimento para então conseguir retomar os planos de antes da gestação e também poder estudar e trabalhar no ramo de hotelaria como sempre havia sonhado. 


A história tem uma essência lúdica e exagerada em algumas partes, assim como a grande maioria dos filmes lançados. Porém, essa característica também se mistura com situações da vida real, tipo essas coisas que acontecem "nas melhores famílias". Um exemplo disso é quando Rosie engravida sem planejar antes mesmo de entrar na faculdade, ou ainda quando ela perde alguém muito importante na sua vida. Também acontece com Alex que tem uma frustração dentro do seu relacionamento. 

A amizade entre os dois personagens principais é muito perfeitinha, me deixando em alguns momentos em dúvida sobre a intensão real deles. Era amor? Existia um romance? Ou tudo não passava de ilusões da minha cabeça? Mesmo assim, o filme não deixou de ser interessante e me fez querer saber ainda mais sobre o trabalho dos protagonistas.


Claro que eu não poderia deixar de citar a melhor parte: Foi baseado na obra "Where Rainbows End" da escritora irlandesa Cecelia Ahem, em 2014. Fiquei até com vontade de ler a obra também. Afinal, livros são melhores que os filmes aos quais são baseados. Imagina, se eu gostei do filme, o livro será ainda melhor. Tomara que minhas expectativas estejam corretas. 

Foto de Nadia Zahirah
Se você assistiu a esse filme me conta se gostou, ok? 

1 comentários: