Meu (des)controle financeiro


Oi, gente! Tudo bem? Hoje eu vim aqui compartilhar um "detalhe" da minha vida, bastante íntimo, mas que eu acredito que pode ajudar alguém aí do outro lado: Não sabia cuidar do meu dinheiro!

Se prepara que o post vai ser grande, tá? (Nossa, como eu estava com saudade de escrever aqui!!)


Não ganho tão mal, mas...

Sabe aquele ditado: "Sobrou mês para o meu salário!"? Então, essa era a minha vida. Sempre sobrava mês para o salário e eu precisava recorrer ao cartão de créditos para abastecer e comprar até que eu recebesse de novo. Resultado disso? A fatura vinha bem alta, eu acabava pegando do limite para paga-la e sempre pagava juros e mais juros. 

Fui me enrolando assim por quase dois anos, fiz empréstimos e tudo mais no banco, até que um dia eu parei e decidi que isso tinha que ter um fim! Eu não aguentava mais ser controlada pelo dinheiro. Não aguentava mais não saber onde eu gastava todo o meu salário. E como eu não tinha a noção de onde ele ia embora, eu não me via como alguém consumista, por que não gastava ele comprando roupas, bolsas e sapatos, nem tanta maquiagem, nem nada dessas coisas que as mulheres sempre gostam de comprar. 

Meu marido é o Sr. disciplina!

Sabe o que mais me doía nisso tudo? Era ver que o meu marido é que mandava no dinheiro dele e eu não conseguia fazer o mesmo. Ele conseguia cuidar das despesas de casa (a parte dele), comprar as coisas que ele gosta e precisa (como CD´s, roupas, perfume, etc.) e ainda conseguir poupar uma parte. Ou seja, enquanto eu pagava juros para o banco, ele ganhava juros do banco através da poupança. 

Essa situação estava fazendo muito mal pra mim. Havia investimentos que eu planejava para um futuro não tão distante, mas vendo o jeito que eu estava endividada tudo parecia utopia, bem longe de se tornar possível. 

Pedi ajuda para mudar essa realidade

Como eu já tinha tentado sair disso tudo sozinha e não havia conseguido, decidi que era hora de pedir ajuda. Hoje eu me arrependo demais de não ter feito isso muito antes. Conversei com meu marido e fizemos algumas mudanças.  A primeira delas era: Anotar tudo que eu gasto numa planilha

Eu já tinha tentado fazer isso antes, mas com o passar do tempo eu acabava esquecendo. Anotar é importante (mesmo que seja R$0,50) por que vemos de forma clara para onde vai todo nosso dinheiro. Ele me perguntou quanto eu costumava gastar de gasolina por mês e eu respondi um determinado valor, mas depois que eu comecei a anotar eu vi que o valor que eu imaginava estava errado. Assim aconteceu, também, com o lanche, livros, bugigangas e outros gastos diversos. Hoje eu posso dizer que estou há dois meses conseguindo anotar tudo e vendo pra onde vai o meu salário. 

A segunda mudança foi limitar um valor para cada tipo de despesa. Por exemplo (valor fictício): R$20,00 por semana para comer na rua, R$ 50,00 por mês para itens de higiene pessoal (desodorante + shampoo e condicionador, etc.) e óbvio, um valor para ser depositado na poupança. O valor da poupança deve ser encarado como uma dívida, sendo o primeiro a ser "pago" depois de receber, e uma vez colocado o dinheiro na poupança, ele não deve ser retirado (salvo raríssimas exceções). 

E ainda acordamos de parar de passar o cartão de créditos e apenas usar dinheiro até toda minha dívida fosse quitada. Eu nem estou acreditando que estou conseguindo fazer isso!! Até pensei em cancelar o cartão, mas o meu marido disse que eu não deveria fazer isso, visto que ele era uma ferramenta importante, desde que se saiba usar, e além disso, eu precisava ter ele para conseguir deixar de usar por mim mesma, e não por ele ser cancelado. 

Aprendi que...

Ansiedade é o que mais atrapalha a ter disciplina com o dinheiro. As vezes queremos alguma coisa por impulso, e compramos. Depois nem usamos o que compramos. O dinheiro poderia ter sido gasto de outro jeito. A maior lição de aprendizado que tirei de tudo isso foi aprender a esperar. Se eu quero algo e não tenho o dinheiro, e lembro que vou receber meu salário novamente e terei dinheiro. Comprarei a vista e ainda poderei ter desconto na compra. 

Aprendi também que quando você espera pra comprar algo que quer muito a vontade passa. Não é assim em todos os casos, mas na maioria das vezes é. Queria muito um BB cream da Missha, quase comprei. Depois decidi que pensaria melhor. Vi que atualmente tenho 2 BB creams nas minhas maquiagens e não uso. Aqui na minha cidade faz muito calor e eu morro de preguiça de passar qualquer coisa no rosto no dia a dia. Por isso, pensei que talvez não usaria o da Missha também. A vontade louca de comprar passou e eu não gastei o dinheiro. 

Uau! Por hoje chega!! Mas ainda quero voltar a falar sobre isso! Acho que vai me motivar a continuar. 

Não é fácil se controlar, mas a sensação de ter conseguido é tão maravilhosa que você tem vontade de sentir de novo e de novo, e assim vai conseguindo se manter no controle do seu dinheiro.

E vocês, como vocês lidam com o dinheiro?

1 comentários:

  1. Super me identifiquei com esse post. Tati do céu, compro muito por impulso, coisas que nunca vou usar. AFF! Vou começar a anotar também. Rs. Não tenho ideia pra onde vai meu dinheiro :(
    =*****

    ResponderExcluir