Sobre sair da casa dos pais



Sair da casa dos pais, seja pra casar, pra morar sozinho, ou em uma república, é algo que a maioria das pessoas que eu conheço desejam muito. Mas, por mais que isso seja gratificante em diversos aspectos, acredite: não é tão simples quanto parece (leia mais AQUI e AQUI). Há exatamente 8 dias eu tive essa experiência. Se vc ainda não sabe, eu me casei no último dia onze. E desde então, estou aproveitando tudo que esse momento pode me proporcionar, tanto de bom, quanto de ruim. 

A primeira impressão que eu tive era que eu estava de férias e que em algum momento chegaria a hora de voltar pra casa (dos meus pais). Sabe quando voce vai passar um fim de semana na praia, e está muito feliz por isso, mas também lembra que você voltará pra realidade em alguns dias? Então. Somente há uns dois dias é que eu comecei a tomar a minha casa como minha de verdade, e hoje eu acostumei com ela e me sinto "em casa" exatamente onde estou. No início eu também chamava a casa da minha mãe de: "lá em casa". 

Um dia, uma amiga muito querida disse que quando você se casa, sua família começa a te enxergar como adulta. De fato, isso é verdade. Os assuntos mudam demais. Eu vivo falando sobre manchas do pano de prato e como faço pra retira-las, ou sobre se algum tipo de comida deve ou não ser guardado na geladeira. Isso é papo de adulto pelo que eu me lembre. Ainda estou descobrindo a quantidade certa de tempero nas receitas e se eu devo colocar pra bater aquele tipo de roupa com aquele outro tipo. Tem tanta coisa pra me adaptar. E ainda bem que meu marido (nossa, isso é estranho de dizer) está me ajudando demais. Tanto em relação a paciência por eu ser bem crua em tudo que diz respeito a casa, quanto a me ajudar colocando a mão na massa mesmo (ou melhor, no rodo, na esponja, na furadeira). 

O que me surpreendeu ainda mais em tudo isso que está acontecendo, são as coisas que eu tenho que comprar. São despesas que você não está contando. Tipo, base para o botijão de gás. Acredite: Por mais que você planeje tudinho, ainda vai haver algo que te pegue de surpresa. Então, tenha sempre uma reserva para imprevistos e emergências. 

Quanto a rotina, tudo mudará. Ainda estou tranquila, mas quando voltar a trabalhar (44 horas por semana) terei que administrar isso de uma forma mais apertada que agora. 

Tudo em uma casa nova, tem que ser lavado antes de usar. A mudança em si suja todas as coisas. Então se prepare. E se suas coisas são novas, já saiba que terá de ler muitos manuais e tirar muitos adesivos e embalagens (perdi muito tempo fazendo isso). Sempre lembre-se de ver a voltagem da sua casa e a voltagem do produto antes de ligar na tomada, não confie na sorte. 

Enfim, depois eu volto pra conversarmos mais. Mas, antes, me conta: Voce já passou por alguma mudança (de casa, cidade). Já saiu da casa dos seus pais? E como foi? =)

4 comentários:

  1. Ai Talita amei o texto,eu espero me mudar até fevereiro.To super nervosa e ansiosa :O hehe
    Nunca fiquei nem um find longe da minha mãe e agora to indo pra outra cidade morar com meu marido :(
    Adorei seu blog linda *o*

    beeaju
    blogdia29.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau, fevereiro já está aí. Continue acompanhando que vem ótimas dicas por aí pra quem tá passando por isso, como nós duas. Beijos, Giovana !!

      Excluir
  2. Senhora Tati, fica tranquila, vai tirar de letraaaaa..... rsrs
    Beijoss!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehe, é meio complicadinho, mas to gostando :)

      Excluir