minha cabeça de vento


Sempre fui assim: tímida. Mesmo nos primeiros anos do colégio. Tinha poucos amigos, poucas palavras, poucas atitudes, mas muita criatividade pra viajar em pensamento pra onde eu tivesse vontade. Minha insegurança não me permitia brincar de pique-pega com o resto da turma. Preferia ficar na sala durante o intervalo jogando forca ou lendo um livro. Pensava: eu não tenho jeito mesmo! As coisas foram acontecendo dessa forma por muitos anos, e isso me permitia tirar boas notas, por que não me distraía com mais ninguém, só prestava atenção na professora. Era como se a minha melhor amiga fosse eu mesma! E, claro, eu era chamada de nerd.
O que realmente me salvava, ou melhor, quem realmente me salvava desse isolamento social/emocional era minha prima Celina que passava os fins de semana na minha casa. Ela também costumava vir nas férias! Me recordo como se fosse ontem que no quintal de casa (que era bem grande) tinha uma amarelinha desenhada no chão. Acordávamos, ou melhor eu acordava ela, para assistir "Super Pig" na TV, ainda bem cedo. Ah, como o tempo voa... E pensar que hoje ela é PM na cidade de São Paulo! O destino separou a gente fisicamente... Seguimos em frente, corremos atrás dos nossos sonhos e vontades.
Minha família sempre foi meu porto seguro! Tínhamos o costume de acampar nos fins de semana. Procurávamos lugares frescos que tinham acesso ao rio e passávamos o dia jogando conversa fora, ouvindo música no carro, jogando cartas, nadando (principalmente nadando) e dormindo na rede. Eu era feliz e nem sabia... Meu pai nunca esquecia o violão pra fazer um som pra gente. Por morar no interior, tive oportunidade de brincar na rua com meus primos. Naquela época não era perigoso e o sol também não queimava como hoje. Viajava para Araguarí e Guarulhos! Visitava tios e aproveitava para fazer um passeio diferente. Praia, parques de diversão, o primeiro filme visto no cinema, primeiro "passeio" de metrô, as peças de teatro montadas e dirigidas pela Tia Regina e estreladas por mim e os outros primos/primas e claro, os machucados... cada cicatriz me faz voltar no tempo e lembrar algumas poucas coisas que ainda consigo guardar nessa memória rabugenta que eu tenho e que funciona menos a cada dia (:
Foi na infância que tive os primeiros contatos com os livros, o violão e o computador. Sonhava ser estilista ou cantora, e até cheguei a desenhar alguns croquis. Foi nessa época que me encontrei com as coisas que mais gosto e que compõem o ser que sou hoje. Tudo o que vemos, sentimos, vivemos e aprendemos na infância nos dá base para sermos o que somos hoje. 
Apesar de tudo posso concluir que não fui uma criança triste, só via felicidade onde outras pessoas não costumavam enxergar. Estava tudo dentro da minha cabeça de vento. :p

“Esse texto faz parte da blogagem coletiva promovida no Depois dos Quinze"

4 comentários:

  1. Anônimo24/9/12

    Onw, que lindo.
    Passou um filme na minha cabeça. Hehehehe
    Nossa infância foi a melhor mesmo, aproveitávamos muito. Lembro que eu nao via a hora de chegar sexta feira pra poder ir pra sua casa. Rs
    Obrigada por ensinar tanta coisa boa. Graças a vc fiz enem, me apeguei nos estudos e comecei a ler livros. Aprendi muito com vc, sempre te admirei, desde criança. hehehe
    E qdo somos crianças aprendemos mais fácil. Que bom que tinha vc pra ensinar coisas boas. Obrigada por tudo. Te amo my best cousin! ;)

    Celina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :)
      Nossa.. e parece que tudo isso foi ontem.
      Tudo que vc conseguiu Cee foi mérito seu, só seu! Sua garra e esforço fez você chegar onde está! Quantas pessoas passaram por mim e não fizeram um dedo do que você conseguiu fazer???
      Continue dando seu melhor que você vai conseguir O MELHOR pra sua vida!!!

      Vem visitar a gente aqui em Goiás logo! *-*

      Excluir
  2. Hum, adorei o texto, muito lindo... Apesar da Tátila ter uma MEMORIA daquelas, porque eu não me lembro do meu primeiro filme no cinema rsrs ' Então a Tátila tem o poder de fazer as pessoas tomarem gosto com livros, porque sinceramente eu DETESTAVA LER, DETESTAVA LIVROS, e hoje em dia eu gosto mt de ler, não vou dizer que leio 3 livros por mês, mas pelo menos 3 por ANO. rsrs ' e isso tudo eu vim aprendendo com a Tatila me incentivando, O blog, aaai é tudo maravilhosoo... e Quando eu recebi a proposta de ser a autora do blog juntamente com ela, noossaaa pra mim fooi MARAVILHOSOOOOOO *---* Parabéns Tátila, por tudo que você tem e irá conseguir. Eu gosto muito de você e te considero muito. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom saber que consigo influenciar positivamente as pessoas! Obrigada pelas palavras tão lindas *-* Minha co-autora favorita! kkkkkkkkkk

      Excluir