Para poder viver - Yeonmi Park



Faz alguns meses que eu comecei a me interessar bastante pela cultura coreana. Ao contrário da maioria das pessoas, o que me chamou a atenção não foi o K-Pop, mas sim a história, a superação desse país, principalmente após a guerra. Além, claro, do alfabeto (hangul) que é lindo. Buscando mais informação a respeito encontrei alguns canais no Youtube de meninas que moravam na Coreia do Sul. Primeiro achei a Angélica, a Midori, a Sernaiotto e depois a Mandy

É estranho imaginar que antes era apenas um país e que agora se trata de dois povos com a mesma cultura, mesmos costumes, mesmo idioma e tudo mais, mas na verdade são totalmente diferentes em relação a desenvolvimento, economia e política (entre outros). Nas minhas pesquisas eu encontrei também o livro Para Poder Viver da norte coreana Yeonmi Park

Nessa autobiografia a autora conta sua trajetória de vida e de fuga da ditadura norte coreana para a coreia do sul. 

A obra se divide em três partes: Coreia do Norte, China e Coreia do Sul. 
Na primeira parte ela fala sobre sua infância na Coreia, sobre as dificuldades que ela e sua família passaram, coisas que me fizeram arrepiar por nunca ter sequer imaginado. Fala também sobre como o ditador controla a mente das pessoas. É algo tão absurdo que as pessoas acreditam que o líder ditador pode controlar o sol, ler mentes e quando ele faleceu as pessoas não conseguiam acreditar direito nos fatos, já que achavam que ele fosse imortal. 

Na China ela viveu experiências extremamente difíceis, principalmente para uma criança. Viu a mãe ser violentada e estuprada, presenciou tráfico de seres humanos, inclusive de sua família no mercado ilegal chinês. Durante essa parte da leitura eu precisava parar pra me concentrar em outras coisas devido a história ser tão chocante e triste. É até difícil entender e digerir que esse livro aborda fatos reais. 

Finalmente, quando ela chegou na Coreia do Sul, orientada pela luz das estrelas, literalmente, eu pensei que ela sentiria o gosto da liberdade e que sua vida realmente seria mais leve, mais fácil, mas ela se depara com dificuldades que não estava esperando. Ela estava muito atrasada em tudo, na escola, na utilização de equipamentos eletrônicos, na educação e maturidade em si. Por isso, precisou se esforçar ainda mais para se equiparar aos jovens sul coreanos da sua idade.

Foi um dos livros mais profundos que já li na vida. Algumas vezes me fizeram chorar, outras eu fiquei enfurecida, tamanha crueldade exercida pelo ditador atual, e algumas vezes fiquei me sentindo impotente por não saber o que fazer para ajudar aquele país, aquelas pessoas. É uma leitura complicada, porém, muito importante, até mesmo para quem não se interessa pela Coreia. Este livro me ensinou muito, me fez exercer ainda mais a empatia para com as outras pessoas e me fez ser grata pela vida que tenho, pelas condições em que eu nasci e até mesmo pelo Brasil, com todos os seus problemas. 

Recomendo muito e se você já leu este livro, me conta se gostou, certo?

Eurotrip 2018 - A viagem dos nossos sonhos

Meu casamento foi bem simples. Tudo feito por mim, meus amigos e família. Foi assim porque precisávamos gastar pouco, já que todo nosso dinheiro foi investido na compra da nossa casa. E por esse motivo, também não pudemos ter uma lua de mel. Concordávamos que em vez de fazer uma viagem simples pra perto de onde moramos, nós pouparíamos dinheiro para fazer a viagem dos nossos sonhos, aquela que ficaria registrada no nosso coração. E isso aconteceu! 4 anos após o nosso casamento.

Eu vloguei tudo, foram 13 vlogs já publicados lá no canal do YouTube. Vem ver o que aprontamos lá! A playlist tá aqui embaixo:


Crer ou não crer? - Uma conversa sem rodeios entre um historiador ateu e um padre católico



Pensei até em cancelar este blog que não tá falando com ninguém ultimamente. Mas, sinceramente, não consigo :( Amo isso aqui e morro de saudade quando fico muito tempo sem postar. Então resolvi manter ele, nem que seja pra comentar minhas leituras, já que agora participo do Infinistante. Não pretendo fazer blog literário, nem de resenhas. Só vou mesmo compartilhar o que li, se gostei, se recomendo... Algo despretensioso, sabe?

O livro que trago desta vez é o "Crer ou não crer?" escrito por duas pessoas que admiro muito: Leandro Karnal e Padre Fábio de Melo. Ambos defendem coisas totalmente opostas, mas humanamente, trazem uma semelhança que não sabia que existia. 

Leandro: Historiador e Ateu. 
Padre Fábio: Bom... padre, né? E muito culto, inclusive gosta de filosofia. 

Pessoas agradabilíssimas discutindo, aliás, dialogando sobre a fé, a crença, o cristianismo e sobre a ausência de fé, a morte, o sentido da vida e mais... Apesar de abordarem durante a conversa esses temas tão íntimos, humanos e profundos, o livro é bem fácil de ler e flui de uma forma muito gostosa. Exceto ali pelo meio que ficam um pouco redundantes os argumentos das duas partes. Apesar de meio cansativo essa parte passa e a leitura volta a fluir. 

Ainda hoje o ateu é muito criticado pela sociedade. Visto, inclusive, como pessoas até ruins por algumas pessoas. Mas isso é totalmente infundado. Uma pessoa não precisa crer, ter alguma fé para ser boa, consciente, desejar evoluir como ser humano. E, tampouco, estar dentro de uma Igreja de joelhos não garante a ninguém essa definição. Ainda há esse pre-conceito no crente e no ateu. E, como todo tipo de pre-conceito, é E-R-R-A-D-O!

Leandro Karnal me ensinou muito. E também o fez Padre Fábio. Aliás, eles também aprenderam um com o outro, cada um com sua bagagem de vida e com a humildade de reconhecer que nunca se sabe tudo... Assim, recomendo que também leiam caso ainda não tenham lido. E se já leram, contem aqui nos comentários se gostaram. 

Até mais!

2018 SEU LINDO


2017 passou correndo pelos meus olhos sem eu nem perceber. E 2018 também está passando, já estamos em Abril... nem dá pra acreditar direito. 

Muitas coisas aconteceram e algumas delas eu nem sei se acredito ainda! Coisas boas e outras nem tanto. Todas elas caberiam num vídeo lá para o Canal, mas estou sem tempo de editar, por isso trouxe o meu ano em forma de post mesmo. 

Em 2017 eu:
  1. Comecei satisfeita com meu corpo - E finalizei com mais de 10 quilos há mais. Ou 15?!
  2. Comecei viajando em Janeiro (pra SP) - E finalizei com reservas de passagens internacionais. Inclusive tem vlog da nossa viagem toda aqui nesta Playlist: Clica Aqui!
  3. Voltei para o trabalho - E comecei uma nova profissão que antes era hobby (fotografia).
  4. Na fotografia eu publiquei pela primeira vez algumas fotos numa revista local - Eles não me deram os créditos - Mas no mês seguinte adicionaram uma errata sobre esse "contratempo". 
  5. Parei de trabalhar com pessoas que eu admiro e amo - Conheci pessoas incríveis que estavam bem debaixo do meu nariz e eu não prestava atenção.
  6. Através da terapia eu vi o quanto a minha vida é incrível - E quanto ainda caminho para alcançar equilíbrio em várias áreas dela. 
  7. Consegui estar em Goiânia no dia em que minha mãe fez a cirurgia da coluna e fiz também a minha cirurgia refrativa e deixei de usar óculos. Nem acredito! E você pode ver tudo que eu registrei aqui nesta Playlist: Clica Aqui
  8. Apesar de algumas situações a cada ano meu casamento se torna melhor, mais maduro.
  9. Fui madrinha de casamento da minha prima queridíssima Ianê. Até nos arrumamos juntas no dia. Foi incrível fazer parte desta etapa da vida dela ♥ Ela também foi minha madrinha de casamento.
  10. Fiz VEDA no canal, que inclusive completou 2000 inscritos este ano. E agora tá com quase 2700.
  11. Ganhei bolo de aniversário surpresa no meu aniversário lá na casa da minha mãe e no trabalho também. 
  12. Comprei minha Canon G7x. Nunca pensei que um dia teria uma. Por motivos de $$, sabe? E advinha? Ela está estragada neste momento =/ Vou mandar consertar (um dia).

Cirurgia Refrativa PRK com laser personalizado

Os últimos dias de 2017 eu passei me recuperando da Cirurgia Refrativa.

Esta era uma cirurgia que já queria fazer há anos, mas não sabia se eu podia e também tinha muito medo. Então eu tomei coragem e fui atrás pra saber mais e correr o risco (que toda cirurgia tem).

Resultado?

Não poderia estar sendo melhor. Estou tão contente e olha que nem deu 30 dias ainda da cirurgia, que é o período que os médicos dizem que a visão leva pra estabilizar. Sem dúvidas o único arrependimento é: Por que não fiz isso antes?

Resolvi filmar essa etapa tão importante e postar lá no Canal do Youtube. Vem ver!

Cirurgia Refrativa PRK - Parte 1:

Conto qual será o tipo de cirurgia e dou algumas informações que o médico me passou.



Cirurgia Refrativa PRK - Parte 2:

Foi o dia do último exame, dia da cirurgia e os dias que se seguiram até a retirada da lente terapêutica.